As empresas que o levam a viajar pelo mundo quase sem pagar

Terá de tomar conta de animais, ensinar inglês ou ser guia turístico. É possível fazer férias sem gastar muito dinheiro — ou nenhum.

A World-Wide Opportunities on Organic Farms ajuda-o a viajar pelo mundo enquanto trabalha em quintas

Ajudar numa quinta, levar um grupo a viajar, tomar conta do cão e do gato de uma família ou ser instrutor num campo de férias para miúdos. A MAGG foi à procura de empresas e plataformas que lhe permitem viajar pelo mundo (quase) de borla. Na grande maioria dos casos só tem de se preocupar com a viagem de avião — o alojamento e a alimentação estão incluídos.

Em troca só tem de prestar um serviço, seja por uma hora ou oito. Mas calma, vai sobrar-lhe sempre tempo para conhecer o local que está a visitar. Afinal, quer-se que acima de tudo sejam umas férias. Diferentes, mas férias.

Sabe falar inglês? É uma forma de viajar de graça

A Diverbo é uma organização que oferece viagens gratuitas em Espanha a quem estiver disposto a passar uma semana a ensinar inglês. O ambiente quer-se muito descontraído, por isso aqui não há cadernos, quadros de ardósia ou testes e exames. Em vez disso, preferem-se conversas sobre os temas que o grupo quiser, jogos e excursões. As inscrições podem ser feitas através do site.

Também pode trabalhar numa quinta

Sue Coppard era secretária em Londres quando decidiu voluntariar-se com um grupo de amigos para trabalhar numa quinta aos fins de semana. Estávamos em 1971. A inglesa achou a ideia tão engraçada que, nesse mesmo ano, criou a World-Wide Opportunities on Organic Farms (WWOOF). Atualmente uma rede de organizações nacionais, a WWOOF promove o trabalho voluntário em quintas de todo o mundo.

Através do site pode descobrir quem é que precisa de ajuda, onde e em que datas. Na maioria dos casos as quintas pagam o alojamento e a comida, portanto só tem de se preocupar com a viagem de avião. E não se preocupe, não vai trabalhar o dia inteiro — há sempre tempo para explorar a região.

Ou num hotel. Ou numa villa. Ou num hostel

Seguindo a mesma lógica do WWOOF, o Helpx tem ofertas de trabalho em quintas, sim, mas também em hotéis, villas e hostels. Dar aulas de ioga ou garantir a manutenção do espaço, melhorar a presença de um alojamento nas redes sociais ou trabalhar na receção são algumas das propostas de voluntariado que pode encontrar. Em troca eles garantem a estadia e, em alguns casos, a alimentação.

Pode utilizar o site gratuitamente, mas com algumas limitações — por exemplo, por ser contactado por anfitriões com subscrição premium mas não o inverso. O serviço custa 20€.

A Adventure Work só tem trabalhos divertidos

Ser instrutor num campo de férias para miúdos em Madrid, dar aulas de esqui num resort em França ou ensinar várias atividades outdoor no Reino Unido são alguns dos anúncios que pode encontrar na Adventure Work. A plataforma tem várias ofertas de trabalho — em algumas recebe à hora, noutras tem incluídos todos os custos da viagem.

É o caso da Peak Season Ski, com espaços em França, Áustria, Itália e EUA. Eles oferecem os custos do resort, transporte a partir do Reino Unido, uniforme, seguro, equipamento e forfait. Em troca oferece os seus serviços na área das vendas das 9 às 17h30. Pode ter que trabalhar ocasionalmente ao fim de semana.

Seja líder de uma viagem

Vietname, a Terra dos "Nón Lá"

Vietname, a Terra dos "Nón Lá" com Fábio Inácio15 a 28 de Abril | 4 a 17 de Novembro+ info: http://bit.ly/2eWDOno

Posted by The Wanderlust on Thursday, February 1, 2018

Outra forma de viajar de borla pelo mundo é organizando uma tour. Vários operadores turísticos procuram líderes de viagens, isto é, pessoas que conhecem muito bem um destino, elaboram um roteiro e acompanham os viajantes durante o percurso.

É o caso da The Wanderlust. A empresa portuguesa está sempre à procura de novos líderes de viagens que conheçam destinos interessantes e estejam dispostos a mostrá-los. A parte chata é que vai viajar de borla para um destino que já conhece, a parte boa é que pode sempre surgir a necessidade de fazer prospecção num novo local — ou atualizar um roteiro para um sítio que já não visite há muito tempo.

E se ficasse a tomar conta de uma casa enquanto os donos estão fora?

É uma opção. No site House Carers pode descobrir todas as casas que estão à procura de um house-sitter. A plataforma está disponível apenas nos EUA, portanto não há grande variedade de destinos. Pode ficar entre um a seis dias, ou mais de três meses.

Pode fazer o mesmo com os animais de estimação

Nick Ridley (where feasible)

Adora animais e não tem dinheiro para gastar em alojamento? Perfeito. A resposta está no Trusted Housesitters, uma plataforma onde pode descobrir todas as casas onde pode ficar a dormir se cuidar dos animais de estimação. Com muito amor e carinho, claro. Além do alojamento, o site oferece ainda 90€ ao ano para todos os que se voluntariarem.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]