Functional. Espaço da antiga PIDE no Chiado tem um novo estúdio de treino

Não tem passadeiras nem máquinas de musculação. Todos os treinos são criados a pensar no corpo e objetivos de cada um.

Aqui não há passadeiras ou máquinas de musculação

Tiago Santos, 34 anos, já trabalha há alguns anos na área do fitness, como personal trainer. Pela sua experiência, começou a acreditar que nem todos os princípios deste mercado são corretos: “Promovem o exercício de forma massificada, não personalizada e não têm em consideração as características únicas de cada pessoa”, explica à MAAG. “As pessoas esquecem-se de que vivem dentro de um corpo e é comum alimentarem mal esta máquina maravilhosa”, diz o responsável e personal trainer, natural do Seixal.

Em conjunto com Nuno Ferreira, 34, e Tiago Baptista, 35, abriu um novo espaço de treino, o Functiontal — Estúdio de Treino Funcional, em Lisboa. Fica na Rua António Maria Cardoso, a mesma do Teatro São Luiz, no Chiado. A entrada faz-se pelo número 18, o mesmo que foi a sede da Polícia Internacional e de Defesa do Estado (PIDE).

Aqui não há passadeiras ou máquinas de musculação. Mas há kettlebels, bolas medicinais, halters ou elásticos, por exemplo. A estrutura é esta porque, segundo o PT, os exercício promovidos em aulas de grupo e proporcionados pelos aparelhos de treino dos ginásios tradicionais servem apenas para “poupar recursos e ter, no mesmo espaço, o maior número de pessoas possível a treinar ao mesmo tempo”, sem que, assim, sejam consideradas as especificidades fisiológicas e biomecânicas de cada individuo. Segundo os proprietários, inibem a principal função do corpo, que é a de movimentar-se.

Queremos educar as pessoas para tratarem do seu corpo.O propósito deste método é ir ao encontro da raiz do problema e não apenas dos sintomas.

O serviço do novo espaço pretende contrariar esta tendência, seguindo a Functional Patterns, uma metodologia específica na qual os proprietários têm formação e certificação. Criado por Naudi Aguilar, e com sede em Seattle, Estados Unidos, o método caracteriza-se por ser um tipo de treino alternativo, que visa a reeducação postural e um consequente aumento da qualidade de vida, saúde e bem-estar. Tudo através do treino funcional, como exercícios que permitam uma “otimização fisiológica e biomecânica do corpo.”

O conceito de treino funcional tornou-se popular, mas foi desvirtuado e perdeu-se na cultura massificada do fitness. Segundo Tiago Santos e Nuno Ferreira, treino funcional significa “treinar de forma integrada e sustentável, partindo das capacidades biológicas do corpo, que se apoiam na execução de três ações principais: andar, correr e lançar.”

O Functiontal — Estúdio de Treino Funcional é o novo espaço de treino no Chiado.

Pode parecer estranho, mas a forma como cada pessoa se posiciona reflete a sua história. O corpo humano tem memória e acumula stresse e traumas em pontos de tensão específicos. A ideia desta metodologia de treino passa por descomprimir (ou fazer uma espécie de reset) à fáscia muscular, a rede que liga todo o corpo e que envolve todos os órgãos e células, tal como as linhas que unem um tapete de Arraiolos.

Tudo começa com uma avaliação, diferente daquelas que sucedem nos ginásios grandes. Mais importante do que o peso, a massa gorda ou a rapidez do metabolismo, é entender “quais é que são as principais disfunções do corpo.” Isto faz-se com fotografias em quatro planos específicos (em que se traça uma linha para entender o que é que está errado) e com vídeos que também permitem “entender onde é que estão os pontos mais rígidos e os desequilíbrios.”

Recorri à Funcional Patterns depois de esgotar todas as alternativas convencionais para tratar lesões que me causavam grande mal-estar. E estou muito melhor”, diz o PT Nuno Ferreira.

Depois, o treino divide-se em três partes, que diferem consoante o diagnóstico: primeiro, há libertação miofascial, que é feita através da descompressão dos pontos de tensão do corpo (é capaz de doer muito); depois, começam os exercícios corretivos, que pretendem devolver a boa postura.

No fim, os exercícios dinâmicos. É nesta última parte que pode treinar para um objetivo específico (emagrecer ou tonificar, por exemplo), mas contemplando sempre o carácter único do corpo, respeitando-o através de movimentos funcionais, nunca estáticos e sempre em movimento.

Com 60 metros quadrados, no Functional — Estúdio de Treino Funcional há duas formas de treinar: ou através de sessões individuais (a partir de 60€ o treino) ou de sessões em grupo com um máximo de quatro pessoas. Há três horários disponíveis: manhã, hora do almoço ou final da tarde. Neste caso, pode optar por treinar uma (60€), duas (80€) ou três vezes por semana (90€). Os preços apresentados são por mês.

Há mais. O ginásio também disponibiliza aulas avulso (15€), pacotes de cinco aulas (80€) e de dez (140€). Pode fazer ainda a avaliação física, que custa 65€ com a oferta de um treino. Não há custos associados à inscrição, nem fidelização.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]