Há cada vez mais portugueses a comprar viagens online. A conclusão é do estudo Global Connected Commerce da Nielsen, divulgado em abril passado, que constatou que 57% dos consumidores recorre à internet — um número superior aos 47% da média europeia. Fica por saber em que plataformas são feitas estas compras, se através dos sites das agências de viagens ou diretamente com as companhias aéreas e hotéis.

Esta pergunta insere-se num dilema ainda maior: afinal, o que é que compensa mais? Tratar de tudo sozinho ou procurar a ajuda de uma agência de viagens? Foi exatamente isso que fomos tentar perceber — com base no ranking geral da Marktest, realizado em 2016, abrimos os sites das cinco agências de viagens com maior reputação no mercado: Agência Abreu, Halcon Viagens, Top Atlântico, GeoStar e El Corte Inglés Viagens.

Em cada uma destas agências, escolhemos um pacote aleatório de férias para a Páscoa ou para o verão. Todos eles incluíam o voo de ida e volta, alojamento, seguro de viagem e transfers. De seguida, andámos pela internet a tentar perceber quanto iríamos gastar se fizéssemos a mesma compra sozinhos.

Fomos minuciosos: usámos o Google Flights para encontrar o bilhete de avião mais barato, mas dentro das condições do pacote da agência (se o voo era direto, por exemplo, só iríamos incluir voos diretos); no site de cada hotel simulámos os preços de um quarto igual ao sugerido pela agência; fizemos as contas junto de uma empresa de transfers com uma boa relação qualidade-preço e ainda acrescentámos o valor do seguro. As contas foram sempre feitas a pensar numa viagem para duas pessoas.

Cinco agências de viagens, cinco pacotes de férias. Afinal, há vantagens em comprar através de uma empresa de turismo? Parece que sim — em nenhum destes programas teríamos poupado mais se fizéssemos a compra online, sem a ajuda de uma agência. Num dos casos a poupança foi de apenas 2,36€, noutro ultrapassou os 700€.

Agência Abreu: poupámos 58,66€ numa viagem para Marraquexe

Markus Jentzsch

No site da Agência Abreu, escolhemos como destino Marraquexe, uma das propostas da agência para a Páscoa.

O programa da agência

Para as datas de 30 de março a 2 de abril, a proposta da Agência Abreu incluía o voo com saída de Lisboa ou Porto (20 quilos de bagagem); estadia por três noites; transfers; e seguro de viagem. Havia oito propostas de alojamento possíveis, nós escolhemos um quarto duplo no quatro estrelas Be Live Experience Marrakech Palmeraie.

O programa ficava por 621€ por pessoa, 1.242€ para duas.

Online fica mais barato?

Começámos por fazer a reserva diretamente através do site do hotel Be Live Experience Marrakech Palmeraie. Para as mesmas datas, e nas mesmas condições, o alojamento ficava por 375€. De seguida, abrimos o Google Flights para fazer uma pesquisa de voos. A proposta mais barata que apareceu pertencia à TAP. Tivemos de optar pela tarifa Basic, para corresponder à quantidade de bagagem oferecida pela agência de viagens. Preço total do voo: 427,20€.

O próximo passo foi encontrar um transfer. A empresa Marrakech Airport Transfer garantia este serviço por 30€, ida e volta. Quanto ao seguro de viagem, e segundo uma simulação feita através do site Viagem Segura, fica por 41,26€ para duas pessoas.

Feitas as contas, através da Internet pagamos 1.300,66€. Portanto, compensava fazer a compra junto da agência de viagens — neste caso, poupámos 58,66€.

Halcon Viagens: poupámos 233€ numa viagem para a Jamaica

A pensar no verão, escolhemos a Jamaica como destino no site da Halcon Viagens. O programa da agência está disponível entre 1 de junho e 20 de setembro.

O programa da agência

Escolhemos como datas 1 a 8 de junho. O programa de sete noites reunia o voo com saída de Lisboa, alojamento no cinco estrelas ClubHotel Riu Negril em regime tudo incluído, transfers e seguro de viagem. Ficava tudo por 1.272€ por pessoa. Portanto, 2.544€ para um casal.

Online fica mais barato?

Fizemos a reserva de um quarto no hotel ClubHotel Riu Negril nas mesmas condições. Preço total: 1.054,34€. Quanto ao voo, fizemos uma pesquisa no Skyscanner e descobrimos voos a 760€ — havia bilhetes mais baratos, mas em vez de 14h17 de voo eram 28 horas. Pois, ninguém merece.

Quanto aos transfers, a empresa Paradise Palms Jamaica Transportation garantia o serviço de ida e volta por 161,40€. Quanto ao seguro de viagem, e segundo uma simulação feita através do site Viagem Segura, ficava por 41,26€ para duas pessoas.

Feitas as contas para duas pessoas, a viagem ficava por 2.777€. Valia a pena reservar com a agência de viagens — poupámos 233€.

Top Atlântico: poupámos 730,28€ numa viagem para o Dubai

A pensar na Páscoa, a Top Atlântico tinha uma proposta de sete noites no Dubai.

O programa da agência

Para as datas de 25 de março a 1 de abril, o programa incluía o voo de ida e volta através da Emirates, a estadia no hotel Hotel Arabian Park, de três estrelas, os transfers e seguro de viagem. Por pessoa em quarto duplo, o programa ficava por 979€, portanto 1.958€ por casal.

https://magg.pt/2018/02/18/estas-agencias-de-viagens-portuguesas-sao-tudo-menos-tradicionais/

Online fica mais barato?

Começámos por simular uma reserva no site Hotel Arabian Park. Feitas todas as contas, a estadia para duas pessoas ficava por 603,44€. Neste caso, o hotel assegurava os transfers (34,06€). De seguida, fomos ver quanto custaria a viagem através da Emirates. No percurso de ida conseguimos escolher a tarifa mais baixa, mas na de volta essa opção já estava esgotada. Tivemos de aumentar um pouco a conta, portanto. Preço total do voo: 1.021,79€.

Quanto ao seguro de viagem, e segundo uma simulação feita através do site Viagem Segura, ficava por 41,26€ para duas pessoas.

Assim, a viagem para duas pessoas tinha um custo total de 2.688,28€. Conclusão: era preferível reservar diretamente com a agência. Poupámos 730,28€.

Geostar: poupámos 52,72€ numa viagem para Malta

A agência de viagens tinha um programa de quatro noites para Malta para aproveitar na Páscoa.

O programa da agência

Faziam parte do pacote a estadia no quatro estrelas Paradise Bay Resort. O programa destinava-se às datas 25 a 29 de março e incluía ainda o voo, transfers e seguro de viagem. Preço: 447€ para uma pessoa, 894€ para duas.

Online fica mais barato?

Se fizermos a reserva direta através do Paradise Bay Resort, um quarto duplo ficava por 235,84€. Quanto ao voo, fizemos a pesquisa no Google Flights para descobrir o mais barato. Resposta: a Air Malta tinha voos de ida e volta por 297€.

Quanto ao transfer, a empresa Intui Travel Transfer tinha veículos que faziam o percurso de ida e volta por 75,62€. Já o seguro, e segundo uma simulação feita através do site Viagem Segura, ficava por 41,26€ para duas pessoas.

Se fizermos as reservas através da Internet, portanto, pagamos no total 946,72€. Compensava reservar com a agência: poupámos 52,72€.

El Corte Inglés Viagens: poupámos 2,36€ numa viagem para Nova Iorque

Através do site do El Corte Inglés Viagens não é possível saber todos os detalhes sobre os programas disponíveis, por isso fizemos um pedido de orçamento para uma viagem com destino a Nova Iorque. Era uma das propostas da agência para a Páscoa. Quanto às datas, escolhemos 26 a 31 de março.

O programa da agência

A proposta juntava o voo direto entre Lisboa e Nova Iorque com a United Airlines e o alojamento num quarto standard no The Manhattan at Times Square. A estadia não incluía o pequeno-almoço. Faziam ainda parte do pacote os transfers e o seguro de viagem. Custo do programa para duas pessoas: 2.077,89€.

Online fica mais barato?

Fomos fazer as contas. A reserva direta através do hotel, nas mesmas condições e para as mesmas datas, ficava por 708,99€. O voo direto mais barato que encontrámos também foi com a companhia aérea United Airlines, e a simulação através do Google Flights indicou-nos que cada bilhete de ida e volta ficaria por 629€ — 1.258€ para duas pessoas, portanto.

Para fazer as contas dos transfers, fizemos uma simulação no Airport Shuttles. A opção mais barata para o trajeto de ida e volta ficaria por 72€. Por fim, o seguro de viagem de acordo com o site Viagem Segura totaliza 41,26€.

Feitas as contas, comprar a viagem online ficava por 2.080,25€. Com a El Corte Inglés Viagens poupámos 2,36€.

O que têm a dizer as agências sobre estes resultados

As agências de viagens dispõem de uma série de mecanismos que lhes permitem assegurar preços mais baixos. Pelo menos é o que explica à MAGG fonte da Halcon Viagens: “Há destinos com voos fretados, tarifas aéreas especiais apenas para agentes de viagens e lugares bloqueados com as companhias aéreas, e estes não estão disponíveis na Internet.”

Margarida Blattmann, Diretora de Marketing e Contratação da TopAtlântico, também destaca os “contactos privilegiados com os fornecedores”, que “permitem obter preços e condições muito vantajosos”.

“Para garantirmos os preços mais competitivos do mercado estabelecemos contactos de proximidade e confiança com os nossos parceiros de negócios e aprimoramos ao máximo a nossa contratação. Uma boa capacidade de contratação permite-nos estabelecer boas condições junto dos operadores, hotéis e centrais hoteleiras”.

Alberto Machado, porta-voz da Agência Abreu, explica como é que é possível terem preços mais em conta: “Seja pelo volume que geramos e capacidade de negociação que daí decorre, seja por contratação direta com risco associado, seja ainda por acordos vários com fornecedores e entidades oficiais dos destinos, batemos frequentemente os preços vendidos ‘à la carte’ – sobretudo quanto estamos a comparar realidades comparáveis.”

E continua: “Em toda esta equação em torno do preço, convirá ter presente que há outras componentes a ponderar pelo cliente – e para as quais ele não estará sempre atento: são os dias da semana para realizar a viagem e os horários dos voos, os tempos adequados de conexão entre os vários voos, a qualidade e o histórico de serviços dos vários fornecedores envolvidos, a capacidade de intervenção em caso de qualquer problema ou imprevisto… Tudo isto releva quando analisamos a questão do preço.”

Para todas as agências de viagens, porém, há mais vantagens associadas a uma compra com uma empresa de turismo. Todas elas ressalvam os mesmos pontos, a começar no cuidado com a escolha do roteiro. Do voo ao alojamento, eles conhecem o mercado e conseguem assegurar as melhores opções quando o tema é qualidade-preço.

“As tarifas aéreas mais económicas por vezes não são as mais indicadas, com grande tempo de escala, mudanças de aeroporto ou até mesmo ter que pernoitar no mesmo”.

“Saberemos aconselhar os clientes sobre a melhor zona, sensibilizá-los que nem sempre o hotel mais económico será a melhor opção”, explica à MAGG fonte da Halcon Viagens. Isto significa por exemplo ir parar a uma unidade de alojamento longe do centro ou num local muito isolado — em transportes, o cliente pode acabar a gastar mais do que se tivesse optado por um hotel mais bem localizado. “As tarifas aéreas mais económicas por vezes não são as mais indicadas, com grande tempo de escala, mudanças de aeroporto ou até mesmo ter que pernoitar no mesmo”.

“Por detrás do nosso site encontram-se agentes de viagens experientes e com um know-how muito grande adquirido ao longo dos anos”, explica Margarida Blattmann, da TopAtlântico. São eles “que validam se todos os procedimentos da reserva estão em ordem para que tudo corra bem quer antes, durante, como após a viagem.”

Há outra mais-valia na reserva junto de uma agência de viagens, garantem — eles estão sempre lá, aconteça o que acontecer. “Quando são necessárias alterações, ou quando os azares e greves acontecem, há a garantia de uma equipa de gente real, experiente e a falar português para dar assistência a quem reservou online e necessita de soluções para chegar ao destino”, continua Margarida Blattmann.

“A resolução de contratempos que possam acontecer durante a viagem serão realizadas pelos agentes de viagens”, explica fonte da Halcon Viagens à MAGG. “Se compra pela internet, estas contrariedades terão de ser solucionadas pelos clientes o que, no meu entender, não será tarefa fácil. A internet nem sempre tem ‘rosto’ ou um ‘contacto’ a quem socorrer. Uma resolução que para nós por vezes é simples, para os clientes será um ‘quebra-cabeças’.”

Alberto Machado, da Agência Abreu, destaca ainda outro ponto importante: o escrutínio. Eles estão sempre atentos à qualidade dos seus fornecedores, seja uma companhia aérea, uma unidade hoteleira ou um prestador de serviços como um guia ou um motorista. “Isto no sentido de acautelar sempre as melhores condições possíveis de prestação de serviço ao cliente”, explica.